Marketing Visual 2018 – Parte#1: Dicas para “Não Designers”

Marketing Visual 2018 – Parte#1: Dicas para “Não Designers” - euDigital - Agência de Marketing Digital
Facebook 0
Google+ 0
Twitter
LinkedIn 0

A euDigital partilha contigo as melhores dicas de marketing visual para 2018, dedicado a todos aqueles que não são especialistas em design!

É dito e sabido que uma imagem vale mais do que mil palavras. A visão tem o poder de despertar e influenciar todos os outros sentidos.

Estatísticas mostram que os utilizadores lêem apenas 20% do texto de um website. No entanto, uma imagem consegue despertam a atenção de milhões de pessoas. É por isso que o marketing visual se torna tão importante!

O que é, na verdade, o marketing visual?

O marketing visual é uma componente essencial do marketing digital. Este usa a psicologia cognitiva e a perceção visual para ampliar o poder de imagens e conteúdos visuais.

Estes podem ser utilizados para criar uma ligação com as pessoas, criar engajamento ou para influenciar as suas escolhas.

Algumas estatísticas sobre marketing visual

De acordo com o HubSpot:

  • 37% dos marketers consideram o marketing visual como a forma de marketing mais importante;
  • De acordo com a Cisco, em 2019, 80% do tráfego terá origem em vídeos;
  • Existe quatro vezes maior probabilidade dos consumidores assistirem a vídeo sobre um produto do que lerem a sua descrição;
  • As infografias têm três vezes maior probabilidade de serem partilhadas nas redes sociais do que qualquer outro tipo de conteúdo.

Já a Bannersnack avança que:

  • Nas redes sociais, o conteúdo visual tem 40 vezes mais probabilidade de ser partilhado em relação a outros tipos de conteúdo;
  • 71% dos marketers utilizam conteúdos visuais nas redes sociais;
  • Cerca de 65% dos profissionais de marketing com uma posição sénior considera que vídeos, fotografias, infografias e ilustrações são o centro da comunicação da sua marca.

Em relação às tendências para 2018:

  • Os vídeos vão assumir uma posição de destaque na criação de engajamento online;
  • Os conteúdos visuais interativos vão ser uma tendência em 2018;
  • A inteligência artificial e reconhecimento de imagem vão transformar o marketing nas redes sociais.

Dicas de marketing visual para não designers

Claro que neste ponto levanta-se a questão: E se eu não for designer?

A resposta é: Não é preciso seres designer para tirar partido do marketing visual!

A primeira parte deste artigo vai dar-te algumas dicas para te ajudar a criar conteúdos visuais com um aspeto profissional. Isto sem teres de fazer um curso de design!

Vamos lá começar!

Dica #1: A simplicidade é a chave

A plataforma Quora é um excelente local para obter resposta a algumas perguntas. Em relação à simplicidade no design, esta resposta destaca-se:

Marketing Visual 2018 – Parte#1: Dicas para “Não Designers” - euDigital - Agência de Marketing Digital

Vamos dar ênfase: a simplicidade significa que o design não esconde, dilui ou domina a mensagem, mas sim cria o ambiente certo para ela.

Isto significa que é importante não preencher o design com demasiados elementos. Deixa que o conteúdo respire, focando o ponto essencial.

Um dos melhores exemplos de simplicidade no design é a homepage do Google.

Marketing Visual 2018 – Parte#1: Dicas para “Não Designers” - euDigital - Agência de Marketing Digital

Dica #2: Tira partido do espaço em branco

O espaço em branco - ou espaço negativo, como os designers chamam - corresponde ao espaço vazio que existe entre os diferentes elementos. O espaço negativo não é, de todo, um desperdício de espaço. Este é um dos elementos mais importantes em qualquer design.

Existem várias razões para tirares partido do espaço em branco:

  • Dar ênfase;
  • Eliminar distrações e dar mais foco à mensagem;
  • Melhorar a leitura;
  • Organizar melhor os elementos e criar uma relação clara entre eles;
  • Criar uma hierarquia visual;
  • Permitir que o leitor tenha tempo para absorver a mensagem;
  • Melhorar a experiência do utilizador.

Dica #3: Combinações de cores - choose wisely

Gregory Ciotti escreveu um artigo muito interessante sobre a psicologia da cor e persuasão.

Eis um excerto:

According to research, personal experiences, upbringing, preferences, culture, and context often muddy the impact individual colors have on people. Therefore, the notion that the colors yellow or purple invoke any type of hyper-specific emotion is inaccurate.

A palavra chave é: contexto!

 

Em relação à combinação de cores, a Prototypr dá-nos algumas dicas:

  • Usa a regra dos 60-30-10. Esta fórmula é ótima para o balanço de cores em qualquer design. Esta regra defende a seguinte distribuição de cores: 60% da cor dominante, 30% da cor secundária e 10% da cor de destaque.

 

  • Tira partido das associações de cores. alguns exemplos que podem ser úteis: preto e branco está associado a elegância, branco à pureza, preto ao mistério e vermelho à paixão. Claro que tudo depende do contexto. É necessário que tenhas em conta o ambiente, a mensagem e a tua audiência para que as associações de cores joguem a teu favor.

 

  • As melhores combinações de cores são influenciadas pela natureza: basta olhares à tua volta para veres que cores funcionam em harmonia.

Dica #4: Tipografia - vai muito além da fonte e tamanho

Gregory Ciotti escreveu um artigo muito interessante sobre a psicologia da cor e persuasão.

Eis um excerto:

Marketing Visual 2018 – Parte#1: Dicas para “Não Designers” - euDigital - Agência de Marketing Digital

A tipografia relaciona-se com diferentes fatores, tais como:

  • Fonte
  • Tamanho
  • Cor
  • Kerning (espaçamento entre letras)

Aqui tens algumas dicas de tipografia, de acordo com a Shutterstock:

  • Começa com a fonte certa. Evita fontes gratuitas se queres destacar-te.
  • Entende a combinação de fontes: é importante que estudes a forma como as fontes combinam entre si. Fontes da mesma família partilham caraterísticas fundamentais e, por isso mesmo, combinam bem.
  • Presta atenção aos parágrafos: será que é melhor o texto justificado ou alinhado à esquerda?
  • Faz ajustes ao contraste entre cores, caso seja necessário. Ajusta a cor para criar um bom contraste e facilitar a leitura.
  • Sê criativo, mas não exageres. Fontes novas podem tirar valor ao design, por algumas razões fontes como Helvetica ainda existem.

Nota: a ideia da tipografia é tornar o teu conteúdo fácil de ler.

Dica #5: Otimiza as tuas imagens para um carregamento mais rápido

Tu até podes criar o melhor design do mundo, mas se a página demorar demasiado a carregar vais perder visitantes.

Aqui tens algumas dicas para otimizar as imagens e reduzir o tempo de carregamento:

  • Usa uma aplicação para compressão de imagens. Estas aplicações comprimem os ficheiros sem afetar a qualidade da imagem. Um exemplo é o Save for Web do Adobe Photoshop ou o TinyPNG.
  • Tem em atenção o formato dos ficheiro. Os JPEGs mantém o tamanho do ficheiro pequeno mas pode perder alguma qualidade no processo. Por outro lado, os PNGs e TIFFs têm tendência a criar ficheiros maiores.

Hoje em dia já não precisas de ser um designer para criar imagens apelativas. Estas dicas vão ajudar-te a tirar partido do marketing visual e melhorar a tua estratégia de marketing digital!

 

Claro que podes sempre recorrer a profissionais para garantir um trabalho exímio e que realmente capte a atenção dos teus clientes.

Na euDigital temos uma equipa de designers especialistas em branding que te vão ajudar a criar a imagem certa para a tua marca!

Queres saber mais sobre este serviço?