Torna-te um ninja do Google! Encontra o que realmente procuras usando operadores de pesquisa

Como pesquisar no Google usando operadores de pesquisa

Tens dificuldade em encontrar aquilo que procuras? Aprende a dominar os motores de pesquisa utilizando operadores avançados!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Pesquisar algo no Google é muito fácil. Hoje em dia qualquer um o sabe fazer, de miúdos a graúdos. Mas isso não quer dizer que todos consigam encontrar o que procuram.

Simplesmente digitar uns quantos termos na barra de pesquisa nem sempre retorna exatamente aquilo que queremos; muito pelo contrário, grande parte das vezes somos confrontados com centenas de resultados de páginas e artigos com informação absolutamente irrelevante. Isso e montes de partilhas no Pinterest. Demasiadas.

Se este é um problema com o qual te deparas frequentemente, chegaste ao sítio certo. Já te explicámos como conseguir que te encontrem, agora é hora de encontrar os outros. Neste artigo vamos revelar-te tudo sobre operadores avançados de pesquisa, juntamente com dicas e truques convenientes para que possas encontrar tudo o que procuras numa questão de segundos. Prepara-te para dominar o mundo da pesquisa avançada.

O que são operadores de pesquisa?

Os motores de pesquisa, como o Google, consistem em sistemas de recuperação de informação que atuam segundo o princípio de “textmatching”: um ou mais termos são introduzidos numa caixa de pesquisa e o sistema retorna uma série de registos da sua base de dados que contenham os termos em questão.

Estes mesmos sistemas agem de acordo com a lógica booleana, que permite ligar os termos utilizados através de operadores de pesquisa com funções específicas, abrindo assim as portas à realização de pesquisas avançadas, muito mais complexas, que nos possibilitam filtrar os resultados de forma a obter exatamente aquilo que pretendemos.

A maioria dos operadores são comandos bastante simples e fáceis de lembrar. A parte realmente complicada é saber utilizá-los com eficácia. Uma vez que compreendas a função de cada um poderás começar a combiná-los e assim realizar pesquisas mais complexas.

Começando pelos básicos

Os três operadores booleanos mais comuns, usados para a filtragem básica de resultados, são os operadores AND, OR e NOT. Os primeiros dois são utilizados pelo Google da mesma forma, já o operador NOT é substituído neste motor de pesquisa pelo sinal “”.

Assim sendo, estes são os primeiros operadores que deves lembrar:

AND

Este operador filtra a pesquisa de forma a retornar resultados que contenham ambos os termos introduzidos. Na verdade, isto não faz muita diferença quando usado por si só, pois esta é a opção que o Google usa por predefinição. Quando usado em conjunto com outros operadores, no entanto, é extremamente útil.

OR

Com este operador podemos filtrar os resultados da pesquisa de forma a apresentar páginas que incluam um termo ou o outro. Isto permite-nos expandir a nossa pesquisa de forma a retornar resultados mais abrangentes. Ao invés deste comando podemos também utilizar o sinal “|”.

-

Este comando permite-nos excluir um determinado termo de pesquisa, impedindo a busca de retornar certos resultados. (Sim, este é o tal que faz os resultados do Pinterest desaparecerem. Oh, tão útil.)

Vamos então ver como podemos aplicar estes operadores numa pesquisa:

Suponhamos que eu quero fazer pesquisa por conteúdo acerca de patos e gansos. Não um animal ou o outro, mas ambos incluídos. Uso para isso o operador AND:

Mas e se eu quiser encontrar páginas que falem sobre qualquer um destes animais, não necessariamente sobre os dois? Devo utilizar OR:

Ok, e se o meu objetivo for procurar informação acerca de gansos, mas não quiser encontrar páginas que falem sobre patos? Basta colocar um “-” antes de “patos”:

Muito simples! Já agora, o que é que eu faço se quiser procurar por qualquer um, patos ou gansos, mas não quiser ver resultados que mencionem galinhas? É uma ocasião perfeita para combinar operadores de pesquisa:

Como podes ver não há dificuldade nenhuma. Mas só com estes três operadores as nossas opções continuam um pouco limitadas.

Refinando a pesquisa

Agora que sabes os operadores mais básicos, é altura de levar a filtragem ainda mais além. Os comandos que se seguem permitir-te-ão pesquisas com resultados bem mais concretos:

" "

Colocar uma determinada palavra ou frase entre aspas fará com que a pesquisa retorne somente resultados que contenham esses termos específicos, excluindo sinónimos e/ou frases que utilizem as mesmas palavras posicionadas diferentemente.

*

Este operador é utilizado para representar qualquer palavra ou grupo de palavras contido numa determinada expressão ou frase, e serve como um substituto para elementos em falta numa pesquisa.

AROUND( )

Com este operador podemos filtrar resultados que incluam dois termos específicos separados por um número máximo de palavras, indicado entre os parênteses.

site:

Permite filtrar os resultados apresentando apenas páginas de um site ou domínio específico. Pode ser muito útil se quiseres encontrar somente páginas de domínios “.pt”, por exemplo.

@:

Um operador que pesquisa resultados dentro de uma rede social especificada. Não consegues achar um post que viste no Twitter ou Facebook pois o sistema de pesquisa é manhoso? Aqui está a solução.

filetype:

Filtra os resultados da pesquisa retornando apenas documentos com uma extensão específica. Em alternativa, podemos também utilizar o operador “ext:”, que produz resultados idênticos.

intitle: / allintitle:

Estes operadores permitem procurar por determinados termos de pesquisa somente no título de uma página. Enquanto o operador “intitle:” pesquisa apenas termos individuais, o operador “allintitle:” retorna páginas que contenham todos os termos indicados no título.

inurl: / allinurl:

Semelhantes aos operadores anteriores, procuram por determinados termos contidos no URL de uma página.

intext: / allintext:

A mesma coisa que os dois anteriores, como provavelmente já percebeste, mas procuram pelos termos incluídos somente no conteúdo das páginas.

..

Um operador que permite encontrar páginas contendo números dentro de um limite específico. Alguns utilizadores relatam que este comando nem sempre funciona como suposto, mas bem, na eventualidade de funcionar pode ser um operador bem útil.

related:

Um comando que procura por sites relacionados com um determinado domínio.

Agora que sabes da existência de todos estes operadores, vamos ver mais uns exemplos práticos!

Ora bem, suponhamos que eu quero procurar por galinhas brancas. Mas quero encontrar apenas resultados que incluam o termo “galinhas brancas” especificamente. Tudo o que tenho de fazer é colocar a expressão entre aspas:

Se calhar estou a tentar encontrar galinhas para venda, mas quero contabilizar possíveis descrições das galinhas em questão, presentes antes do termo “para venda”. Posso colocar um asterisco nessa parte da frase (nota: este operador é mais eficiente quando combinado com as aspas):

Há a possibilidade de esses resultados serem vagos demais, ou não o que procuro. Quero encontrar galinhas para venda, ou galinhas à venda, ou talvez venda de galinhas. Quero então que a palavra “galinhas” esteja próxima da palavra “venda”, e a não mais que duas palavras de distância. Vou para isso utilizar o operador AROUND( ):

Então e se eu quiser procurar informações sobre galinhas exclusivamente em páginas organizacionais? Posso usar o operador de pesquisa “site:” para procurar resultados apenas em domínios “.org”:

Subitamente o meu foco mudou de galinhas para gansos. Mas quero encontrar especificamente tweets sobre gansos. Posso usar o operador “@” para procurar somente resultados no Twitter:

E se eu estiver à procura de documentos do Word acerca de gansos? (Acreditem, já fiz pesquisas mais estranhas.) O truque está em utilizar o operador “filetype:”:

De volta à enorme paixão e entusiasmo que eu agora possuo por galinhas, aparentemente, quero encontrar páginas e artigos que mencionem este animal no título, juntamente com gansos. Qual o melhor operador de pesquisa a utilizar neste caso? Exatamente, o “allintitle:” é o nosso amigo:

Lembrei-me de que não pesquiso patos há algum tempo. Ai, ai. Vamos utilizar o operador “inurl” para encontrar todas as páginas com o nome desta espécie no URL:

Sabes que mais? Não podiam existir galinhas nem patos sem dinossauros. Dinossauros são fixes. Vamos procurar algum texto que fale sobre galinhas, patos, e dinossauros. O operador de pesquisa “allintext:” permitir-nos-á encontrar todas estas três palavras no texto da mesma página:

A história das aves pode ser um tópico muito interessante. Mas talvez eu não queira viajar até à pré-história. Talvez eu queira, porém, encontrar informações sobre patos nos anos de 1995 a 2000. Recorramos então àqueles dois pontinhos úteis:

O melhor site para ler acerca de aves é, obviamente, a boa velha Wikipédia (ou não, mas não é essa a questão). Gosto tanto da Wikipédia que quero encontrar outros sites relacionados. Como é óbvio, o operador avançado “related:” é a minha melhor opção:

Deves ter reparado que há um só operador daquela lista que ainda não mencionei. É verdade, é hora dos parênteses. Já procurámos tanta coisa sobre estas aves, quero ler uns textos positivos e inspiradores sobre elas. Vamos tentar encontrar alguma coisa sobre galinhas ou patos a serem incríveis. Ou a fazerem coisas incríveis. Que tal combinarmos alguns operadores aqui? Contempla toda esta fórmula científica:

Fascinante. Na verdade, nem é uma coisa muito complexa, mas podemos experimentar coisas complexas mais tarde. Pois é, ainda não acabámos.

Finalidades específicas

Imagina só: além de todos os que já mencionámos, existem ainda mais operadores. Pois é. Os comandos que se seguem têm funções mais específicas que talvez só precises de usar em determinadas ocasiões, mas não deixam de ser extremamente convenientes:

$ / €

Este operador permite-te procurar por preços. Só funciona com determinadas moedas.

define:

Usado para apresentar definições do dicionário. Não tende a funcionar para palavras em português (às vezes não tende a funcionar de todo), mas existe para isso o comando traduzido “defina:”. Além de mostrar a definição, apresenta resultados para páginas de dicionários online.

translate:

Semelhante ao anterior, este operador de pesquisa exibe a tradução do que digitares à sua frente.

cache:

Mostra a versão em cache mais recente de um website indexado.

weather:

Apresenta a previsão meteorológica para uma área determinada.

map:

Mostra resultados de mapas para uma pesquisa por localização.

movie:

Um comando que apresenta resultados sobre um determinado filme. Também mostra horários de exibição caso o filme em questão esteja a ser exibido num cinema perto de ti.

in

Usado como um conversor de unidades. Converte moedas, unidades de peso, temperatura, comprimento, e por aí fora.

E agora que já conheces todos estes operadores, que tal concluirmos isto com mais alguns exemplos? Presta atenção, vamos agora mostrar-te como combinar os vários comandos apresentados de forma a obteres exatamente o que procuras.

Primeiramente comecemos apenas por demonstrar mais alguns operadores. Portanto, o que devo fazer se quiser encontrar galinhas à venda por dez euros? Hora de utilizar o operador dos preços:

Já escrevi a palavra “galinhas” tantas vezes que me esqueci do que significa. Que conveniente ter um operador de pesquisa para me ajudar a lembrar:

Deixa ver…

… Sinceramente esta não é uma definição muito abrangente. Mas enfim, continuemos.
Quanto será que aquelas galinhas de 10€ custariam em dólares? Usemos o operador de conversão para descobrir:

E a resposta…

Resultado de uma conversão de preços utilizando o operador de pesquisa "in"

Tudo esclarecido. Mas já chega de demonstrar operadores, acho que consegues averiguar como utilizar os restantes. Vamos montar mais uma fórmula científica absolutamente incrível.

Ok, eis a situação: quero encontrar dicas sobre como criar galinhas, patos ou gansos (não necessariamente todos), referentes aos anos de 2017-2019, e não quero que me sejam apresentados sites brasileiros, porque quero que as minhas aves sejam 100% portuguesas. Ou algo assim. Será que já sabes o que devo digitar para pesquisar exatamente isso? Vê se acertaste:

Bloquear os domínios “.br” funcionou para eliminar a maioria dos sites brasileiros dos resultados, mas percebi que ainda assim me apareciam muitos artigos de sites pertencentes à Globo. Não quero ver nenhum site com “globo” no URL. E, além disso, lá estão os malditos resultados do Pinterest. Vamos expandir a nossa fórmula e livrar-nos disso também:

Acho que por esta altura já deves ter entendido a ideia. Agora é hora de te aventurares e começares a utilizar também estes operadores avançados! Usa este conhecimento para ir mais além e encontrar sempre exatamente aquilo que procuras no meio de uma avalanche de resultados irrelevantes. Oh, e não te fiques só por isto.

Outros truques úteis

Já te apresentamos uma série de operadores convenientes, mas não penses que isso é tudo. Afinal, o Google tem muitos segredos. Lembra-te de que podes refinar ainda mais a tua pesquisa utilizando os filtros que o Google traz já implementados no seu sistema. Estes filtros funcionam em conjunto com os operadores aqui apresentados e permitem-te controlar os resultados que queres obter.

E bem, que filtros são estes? Para começar, no menu de “Ferramentas”, podes encontrar opções que te permitem filtrar os resultados por país, idioma e intervalo de tempo. Se estiveres a fazer uma pesquisa por imagem, dispões também de filtros para selecionar o tamanho, cor e tipo de imagem que procuras, assim como os direitos de utilização da mesma.

Como utilizar o menu de ferramentas do Google

É possível fazer muito apenas com estas ferramentas, mas atenção, não é tudo!

Ao clicares em “Definições”, no mesmo menu das ferramentas, encontras uma coisa gira chamada “Pesquisa Avançada”. Sabes todos estes operadores que acabas de aprender? Bem, se não te quiseres lembrar de todos, podes utilizar uma boa parte desses filtros aqui, e ainda restringir os resultados pela última atualização, definir opções de pesquisa segura e filtrar o conteúdo com base nos direitos de utilização. Muito útil, não achas?

Concluindo (ou talvez não)...

Os motores de pesquisa como o Google são ferramentas poderosas por si só, mas somente quando aprendemos a manuseá-los profissionalmente percebemos o verdadeiro potencial e eficiência destes recursos. Pondo em prática tudo o que te mostrámos neste artigo, agora também tu podes tirar o máximo partido desta ferramenta e dominar a arte da pesquisa avançada.

Mas… não nos vamos ficar por aqui. Mantém-te alerta para a segunda parte, onde iremos abordar serviços de e-mail. É verdade, também podes usar operadores de pesquisa para detetar aquela mensagem que recebeste há uns milénios atrás e julgavas perdida no meio do caos que é a tua caixa de entrada (não te preocupes, acontece à maioria de nós).

Por enquanto, porém, é tudo. Esperamos que tudo isto te tenha sido útil e possas tirar o máximo partido destas informações. Não percas o próximo artigo, porque nós também não. Até à próxima!

Procuras profissionais que já dominem os motores de pesquisa?

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn